Qualidade e Segurança

Gestão da Qualidade

A Qualidade é um elemento diferenciador que contribui e estimula, de forma efetiva, a melhoria dos processos e a prestação da assistência à saúde.

A política de gestão da qualidade do Centro de Reabilitação Lucy Montoro tem o objetivo de avaliar, medir e readaptar, sistematicamente, os processos, de forma a garantir a melhoria contínua e segurança à assistência prestada.

Desde sua inauguração, o Centro de Reabilitação Lucy Montoro busca a excelência na prestação dos serviços que fazem parte do Planejamento Estratégico da instituição. Para isso, é gerenciado, por meio de normas, procedimentos e protocolos padronizados, que agregam segurança, agilidade e eficiência ao atendimento.

“No intuito de certificarmos nossa instituição, garantindo a qualidade de nossos serviços, convidamos a certificadora IQG, ligada à Organização Nacional de Acreditação, no qual fomos reconhecidos, como uma instituição segura em nossos processos de atendimento.”

CERTIFICADO DE ACREDITACAO ONA

Prêmios e Certificados

Gestão de Segurança

A gestão dos riscos passa pela normatização preventiva, corretiva e contingente, com base na política institucional, com os riscos identificados, mapeados e monitorados com foco nos processos de trabalho (assistenciais, administrativos e de apoio).

Gerenciar os riscos compreende a identificação, análise e prevenção dos riscos clínicos e não clínicos.

Objetivos do Gerenciamento de Riscos:

  • Minimizar o risco do processo assistencial aos pacientes, familiares, colaboradores;
  • Promover um impacto positivo no cuidado dos pacientes e prevenir os eventos sentinela, fortalecendo a cultura da segurança;
  • Estimular a análise de falhas e erros decorrentes da prática assistencial, focados na análise dos processos, identificando oportunidades de melhorias;
  • Identificação do risco do paciente, por meio da sinalização por cores; e
  • Orientação educativa por intermédio de banners.

Práticas de Segurança no Centro de Reabilitação Lucy Montoro:

  • Definição de protocolos clínicos, garantindo a eliminação de intervenções desnecessárias e respeitando as diferenças e necessidades dos pacientes; e
  • Fluxo de atendimento às intercorrências.